domingo, 28 de novembro de 2010

Dengue

Hoje quero falar sobre um assunto sério e importante e que é do interesse de todas as pessoas: a DENGUE

Se todos fizermos a nossa parte, quem sabe a gente consegue livrar, pelo menos as nossas famílias dessa calamidade. Aqui no Rio Grande do Sul já estamos tendo casos de dengue. Pelo menos existem algumas maneira que a gente pode lançar mão para minimizar o contato com esses insetinhos perigosos.

Dengue é a enfermidade causada pelo vírus da dengue, um arbovírus da família Flaviviridae, gênero Flavivírus, que inclui quatro tipos imunológicos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. A infecção por um deles dá proteção permanente para o mesmo sorotipo e imunidade parcial e temporária contra os outros três.

--------

A dengue tem, como hospedeiro vertebrado, o homem que apresenta manifestação clínica da infecção e período de viremia de aproximadamente sete dias.

Atualmente, a dengue é a arbovirose mais comum que atinge o homem, sendo responsável por cerca de 100 milhões de casos/ano em população de risco de 2,5 a 3 bilhões de seres humanos.

( Larvas do mosquito)

A febre hemorrágica da dengue (FHD) e síndrome de choque da dengue (SCD) atingem pelo menos 500 mil pessoas/ano, apresentando taxa de mortalidade de até 10% para pacientes hospitalizados e 30% para pacientes não tratados.

Vetores e transmissão

Um único mosquito em toda a sua vida (45 dias em média) pode contaminar até 300 pessoas.

------

A transmissão se faz pela picada da fêmea contaminada do mosquito Aedes aegypti/Aedes albopictus, pois o macho se alimenta apenas de seiva de plantas. No Brasil, ocorre com maior frequência o Aedes aegypti.

( Aedes egipti)

Após um repasto de sangue infectado, o mosquito está apto a transmitir o vírus, depois de 8 a 12 dias de incubação extrínseca. A transmissão mecânica também é possível, quando o repasto é interrompido e o mosquito, imediatamente, se alimenta num hospedeiro susceptível próximo.

Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, nem de fontes de água ou alimento

--------

Há muitas maneiras que podemos pelo menos travar combate aos mosquitos: mantendo os pratos dos vasos de plantas sempre limpos. De preferência com um pouco de areia para não dar chance do mosquito proliferar.

Se tiver algum pneu velho no quintal cuidar para não ficar cheio de água. Latinha de refrigerante, garrafas pet, controlar o seu quintal para não ter água parada para o mosquito se criar.

As fontes decorativas também são um criadeiro de larvas do mosquito. Eu sempre controlo e uma vez por semana coloco alguma gotas de água sanitária.

Existem mil e uma maneiras de a gente se proteger. Numa outra ocasião voltarei a esse assunto dando mais dicas do que se pode fazer.

Existem bons repelentes que podem ser usados. Quanto a isso, nada melhor do que perguntar para seu médico para saber qual repelente usar e como se preparar para esta guerra. Se não der para acabarmos com os mosquitos pelo menos vamos tornar nossas casas menos convidativas.

Logo abaixo publicarei uma receitinha caseira que me foi enviada. Experimentei e achei fácil de fazer.

(Ilustrações e textos Google Wikipedia. )

Um abraço da Vovó Moina


Um comentário:

  1. Evitar a proliferação da dengue depende de cada um de nós. Além de cuidar da sua casa, falar com seus vizinhos, manter contato com sua prefeitura sobre focos da doença, você pode utilizar esse espaço para conscientização.
    Seja parceiro do Ministério da Saúde na mobilização contra o mosquito da Dengue. Divulgue em seu blog nosso material. Entre em contato com comunicacao@saude.gov.br e solicite o selo, participe da campanha.
    Saiba mais: http://bit.ly/bMMVKT

    ResponderExcluir